Música Caipira: a playlist que não pode faltar

Uma boa música caipira deixa qualquer festa mais animada e ainda ajuda a relembrar as raízes do estilo sertanejo, o mais tocado no país. Se você está montando uma playlist especial dos clássicos das modas de viola não pode deixar de conferir as nossas dicas. Aumenta o som e vem conhecer mais sobre os sucessos caipiras.

Música caipira: as músicas que não podem faltar na sua playlist

Confira a seguir o melhor da música caipira, saiba mais sobre os artistas e a sua história.

Tristeza do Jeca

Intérpretes: Tonico & Tinoco

Foram 64 anos de carreira em que a dupla caipira alcançou a marca de quase 1.000 gravações em 83 discos lançados. Na carreira toda, realizaram em torno de 40 mil shows e são reconhecidos como a principal dupla do estilo caipira. Tonico (João Salvador Perez) faleceu no ano de 1994 aos 77 anos de idade e Tinoco (José Salvador Perez) nos deixou em 2012 com 91 anos. A canção “Tristeza do Jeca”, composta por Angelino de Oliveira, usa de uma poesia muito bonita para falar sobre o sofrimento que o homem do campo enfrenta.

Menino da Porteira

Intérprete: Sérgio Reis

Sérgio Bavini se tornou conhecido em todo o Brasil como Sérgio Reis, porém, antes de se dedicar a cantar música sertaneja ele fez parte do movimento da Jovem Guarda. Em 1967, ele alcançou as paradas de sucesso com a música “Coração de Papel”. Contudo, seu encontro com o estilo que o tornaria um ícone da música brasileira se deu em 1972 quando gravou seu primeiro disco sertanejo intitulado “Menino da Gaita”.

Um dos grandes sucessos da sua carreira é “Menino da Porteira” que inclusive foi adaptado para filme tendo o cantor como protagonista. Recentemente, a música foi novamente adaptada trazendo o cantor Daniel no papel que era de Sérgio Reis.

Índia

Intérpretes: Cascatinha & Inhana

O casal da música caipira, Cascatinha (Francisco dos Santos) & Inhana (Ana Eufrosina da Silva), eram casados e cantavam músicas sobre amor. Os dois nasceram em cidades do interior do estado de São Paulo, respectivamente, Araraquara e Araras.

Cascatinha faleceu no ano de 1996 e Inhana no ano de 1981. O maior sucesso da dupla foi a canção “Índia” que é uma versão de uma guarânia paraguaia feita por José Fortuna. Era uma das músicas preferidas do presidente Juscelino Kubitschek.

Moda da Pinga (Marvada Pinga)

Intérprete: Inezita Barroso

Ignez Magdalena Aranha de Lima tornou-se conhecida em todo o Brasil como Inezita Barroso. A artista multifacetada era cantora, atriz, professora, instrumentista, bibliotecária (formada pela USP) e doutora honoris causa em folclore pela Universidade de Lisboa.

Proveniente de uma família rica, Inezita Barroso, aprendeu a tocar viola e violão com apenas sete anos de idade. No ano de 1950, a artista gravou a canção que se tornaria a marca da sua carreira, a “Moda da Pinga”, e abriu portas para muitas mulheres sendo reconhecidamente uma pioneira.

Música: Rio de lágrimas

Intérpretes: Tião Carreiro & Pardinho

Vistos com muito respeito na música sertaneja até os dias de hoje, Tião Carreiro (José Dias Nunes) & Pardinho (Antonio Henrique de Lima) atuaram como dupla em dois períodos distintos, primeiro entre os anos de 1954 e 1978 e depois entre os anos de 1981 e 1993. Ao longo de sua carreira, gravaram 30 LPs que continuam no catálogo de vendas e gravaram um filme chamado “Sertão em Festa” que foi um enorme sucesso.

Tião Carreiro faleceu no ano de 1993 e Pardinho em 2001. Um dos grandes sucessos da sua carreira foi a canção “Rio de Lágrimas” de autoria de Piraci e Lourival dos Santos que fala sobre como o rio Piracicaba vai transbordar com as lágrimas de alguém que está sofrendo muito.

Música: Viola Quebrada

Intérpretes: Pena Branca & Xavantinho

Os irmãos José Ramiro Sobrinho e Ranulfo Ramiro da Silva tornaram-se conhecidos, respectivamente, como Pena Branca & Xavantinho. Uma das principais duplas caipiras do país e que até hoje servem de referência para quem quer se tornar cantor sertanejo.

Uma curiosidade interessante é que a música “Viola Quebrada” que é um dos clássicos caipira é de autoria do modernista Mário de Andrade que adorava os causos do interior do Brasil. Xavantinho faleceu em 1999, aos 66 anos de idade, e Pena Branca nos deixou em 2010 com 70 anos de idade.

Música: Chalana

Intérprete: Almir Sater

Almir Eduardo Melke Sater é certamente o violeiro mais querido do Brasil, o cantor, compositor e instrumentista se tornou famoso atuando em novelas representando personagens que tocavam sua viola e cantavam lindos versos. O trabalho musical de Sater conta com referências de outros estilos e tem como marca o romantismo apoiado em linda poesia.

Uma das canções que se tornaram mais famosas em sua voz é “Chalana” de autoria de Mário Zan com Arlindo Pinto. Zan sempre comentou que pensou nessa canção quando estava num hotel na cidade de Corumbá, observando o rio Paraguai passar e frente a sua janela. Poesia pura que até hoje faz sucesso.