16 Curiosidades sobre rodeios

Se você gosta de acompanhar as competições de rodeio, em que os melhores peões se esforçam para permanecer pelo menos 8 segundos em cima de um touro bravo, precisa conferir as curiosidades que apresentaremos a seguir. As festas de rodeio se tornaram bastantes populares em nosso país e também têm um público fiel em outros países como Estados Unidos e Austrália. Que tal enveredar pelos segredos desse universo?

Conhecendo o Rodeio – Top 16 Curiosidades

Confira a seguir as principais curiosidades de rodeio para acompanhar com o máximo de atenção cada segundo do peão em cima do touro bravo.

1 – Quando nasceu o rodeio?

A atividade nasceu nas fazendas e seus primeiros registros foram as competições entre cowboys em fazendas do oeste dos Estados Unidos no ano de 1867. A ideia dos peões era descontrair, montando e laçando animais após uma longa jornada de trabalho. O mesmo objetivo tinham os peões brasileiros que deram início às atividades de rodeio em Barretos, interior de São Paulo, por volta de 1955.

2 – Competição

O rodeio como atividade competitiva surgiu durante as primeiras décadas do século 20.

3 – 8 segundos para conseguir uma nota!

A prova de montaria em touro é a mais perigosa do rodeio e o objetivo do peão é permanecer por pelo menos 8 segundos em cima do animal bravo. Durante esse tempo, em que o peão se segura como pode e com apenas uma das mãos (a outra não pode tocar em nada e deve estar levantada), os dois jurados atribuem uma nota de 0 a 50. Um dos jurados avalia o peão, e o outro, o animal.

4 – Peões e a hérnia de disco

Você sabia que é comum que peões de montaria em touro tenham hérnia de disco? O problema de saúde é decorrente do impacto que os pulos do animal bravo têm na coluna. Cada vez que o animal salta com o peão montado nele é como se ele caísse sentado no chão. Esse impacto repetitivo a longo prazo não é nada bom.

5 – Acidentes mais frequentes

Uma pesquisa a respeito dos acidentes mais frequentes com peões de rodeios verificou que as fraturas dominam, com 56% das ocorrências, seguidas das torções, que representam 30%. Por fim estão as distensões musculares, com 14%.

6 – Espora sem pontas

Para evitar que as esporas usadas pelo peão machuquem os touros elas não têm pontas e não giram. A segurança dos animais é levada a sério, afinal, eles são as estrelas do show.

7 – Outras modalidades

Quem pensa que no rodeio só acontece a competição de montaria em touro está enganado: existem outras práticas esportivas, como o Laço em Dupla, Cutiano, Sela Americana, Três Tambores, Bareback e outras.

8 – Cutiano é prova brasileira

A modalidade conhecida como Cutiano é praticada a cavalo e não faz parte de rodeios internacionais. Nela, o peão precisa ficar 8 segundos em cima do cavalo, mas o que os três jurados avaliam durante a prova são as esporeadas dadas no animal. Cada jurado atribui uma nota de 0 a 100, e a média das notas é o resultado final.

9 – Cowgirls e Prova de Três Tambores

A modalidade de três tambores é a única da qual as cowgirls podem participar.

10 – Rodeio é show

Em nosso país os rodeios adquiriram uma característica interessante de festa, e entre uma competição e outra é possível assistir a shows de grandes nomes da música sertaneja e de outros estilos musicais.

11 – Rodeio brasileiro

Apesar de o rodeio ter sido inventado pelos norte-americanos, é indiscutível que no Brasil o evento possui um “tempero” nacional, com a forte presença das modas de viola, dos berrantes e de comes e bebes que não existem em nenhuma outra parte do mundo.

12 – Adriano Morais – O peão brasileiro mais famoso do mundo

O Brasil tem produzido vários craques de montaria em touro, porém, o mais famoso dessa seleção ainda é Adriano Morais, o primeiro vencedor do título mundial da PBR, em 1994. Em 2001 ele foi o primeiro bicampeão mundial, e em 2006, o primeiro tricampeão. Sua aposentadoria veio em 2008, mas sua fama permanece.

13 – Bodacious, o touro violento

Se entre os peões existem lendas, é claro que entre os touros também. É o caso de Bodacious, o touro norte-americano que ficou conhecido por sua violência. Na final da competição da PBR esse touro desfigurou o peão Tuff Hedeman, que até então era um dos melhores do circuito. Apenas 6 peões conseguiram permanecer os 8 segundos em 135 montarias. Para a segurança dos peões, o touro foi aposentado em 1997, quando ainda estava em plena forma.

14 – Bandido, a lenda brasileira

O Brasil também tem a sua lenda dentre os animais da competição: o boi Bandido. Ele  passou a ser temido dos peões por derrubar os competidores com uma velocidade impressionante. Em toda a carreira do animal no rodeio apenas o peão Carlos de Jesus Boaventura conseguiu permanecer os 8 segundos.

15 – Peão é atleta?

No Brasil o rodeio ainda não é considerado esporte, embora exista um movimento para isso. A regulamentação da atividade é feita pela lei n. 10.220/2001, que equipa as funções e direitos do peão aos dos atletas profissionais.

16 – Diversão que movimenta milhões

Os rodeios têm caído no gosto popular de aficionados de vários países como Brasil, México, Estados Unidos, Austrália, Canadá, entre outros, e por isso é natural que seja um nicho de mercado que movimenta milhões. A maior festa de rodeio do Brasil, a de Barretos, tem públicos superiores a 300 mil pessoas.