Curiosidades

Quais as gírias mais comuns no universo sertanejo?

As gírias do universo country
Conheça as gírias mais comuns do universo country

Conhecer algumas das gírias sertanejas mais comuns é interessante para poder conversar com cowboys e cowgirls que adotam essa linguagem em seu dia a dia. Por mais naturais que certas palavras e expressões possam soar aos ouvidos de um cowboy de raiz, elas podem ser completamente estranhas para aqueles que não estão familiarizados com esse mundo. Continue lendo e faça uma imersão nessa espécie de dialeto country.

Conheça as gírias sertanejas mais comuns

Abaixo você pode conferir algumas gírias sertanejas que podem te ajudar a ter uma conversa bem mais divertida com cowboys e cowgirls. 

Abeia: gíria clássica utilizada para tratar o peão novato, sem muita experiência ou que simplesmente não entende nada de rodeio. Imagino que você não queira ser um abeia por aí, certo?

Agroboy: provavelmente você já ouviu essa palavra antes. E, se ouviu, com certeza ela foi usada para se referir àquele carinha metido a rico, que anda de carrão e roupa de grife tentando chamar atenção, afinal, o agroboy é o equivalente do playboy na cena sertaneja.

Aguado: aquele animal que decepciona no rodeio porque não pula. 

Ajeitado: essa palavra é usada para se referir a uma pessoa ou coisa bonita, bem feita. Uma pessoa elegante, bem vestida, é uma pessoa ajeitada.

Apurrinhado: um animal excelente para rodeio porque pula bastante. 

Bicharedo: pessoa que é conhecida por ser muito legal. 

Bitelo: aquela pessoa bonitona, o típico “boa pinta”. Se você topar com alguém assim no mundo sertanejo e quiser fazer um agrado, pode chamar de bitelo.

Boqueta: uma coisa bem ruim. 

Cabeceira: aquele cowboy que é muito bom. 

Cancha: significa contar vantagem. 

Cavalo veiaco: esse é aquele animal difícil de montar, que representa um verdadeiro desafio aos peões e peoas que se arriscam na montaria. É bom ficar esperto se você for montar um cavalo veiaco.

Raio: pessoa rápida e que não perde tempo. 

Cercar o porco: essa expressão é um sinônimo de flerte, paquera, é aquela intimada clássica.

Chaiene: uma mulher muito bonita. 

Coice de mula: se cercar o porco não deu certo, é bem possível que você tenha levado um coice de mula. Mas, nesse coice, quem se machuca é o seu coração, pois isso é o mesmo que levar um fora de alguém.

Cortar capim: depois de curtir uma boa festa de peão, chegou a hora de cortar capim, tomar rumo de casa. Então, se alguém lhe disser isso, significa que a pessoa está indo embora.

Cumpa: É aquele amigo de verdade, o seu companheiro de todas as horas. 

Dar febre: quando se diz que alguém dá febre se está querendo dizer que essa pessoa dá muito trabalho. 

Duro de boi: aquele peão que é realmente muito bom na montaria. 

Escorpião no bolso: esse é o pão duro clássico, o sujeito que não abre a mão nem na hora de dar tchau. Se encontrar um escorpião no bolso por aí, prepare-se para aprender a economizar em tudo.

Fantasma: no mundo sertanejo, o fantasma não é aquele que mete medo, é exatamente o contrário. Trata-se de um peão medroso, que já fica pálido só de olhar pra cara do animal.

Fervo: essa é aquela festa boa, que não tem hora para acabar e não dá vontade de ir embora. Quem curte uma farra só vai querer saber de encontrar o fervo mais próximo.

Guiaiaca: pessoa mal vestida, que não está bem arrumada. É o contrário do ajeitado.

Ir pro Goiás: não, não é hora e pegar a estrada. Se você ouviu ir pro Goiás por aí, saiba que alguém levou um belo calote.

Isso não vira não: se tem alguém dizendo isso, saiba que a pessoa está com a pulga atrás da orelha, pois tem certeza de que a ideia não vai dar certo. Então, quando você propor algo e te disserem que isso não vira não, esteja munido por bons argumentos e seja bem persuasivo.

Jogar pedra nas pombinhas: todo mundo tem um amigo ou amiga que joga pedra nas pombinhas. Sabe aquela pessoa que está sempre segurando vela por aí, atrapalhando a paquera de um casal? É dela mesmo que estamos falando.

Mala de louco: é aquele peão que, mesmo sem o menor estilo, consegue montar o animal. 

Manta: essa gíria é importante para os momentos em que você está com fome, pois se refere a nada mais nada menos que um bife. 

Mijo de égua: essa é aquela pinga que vai literalmente dar um coice. Cachaça boa e forte é sinônimo de mijo de égua.

Mofete: não é nada bom ser chamado de mofete, essa palavra significa chato. 

Moiá as palavras: é a gíria clássica do peão que está indo tomar uma cachacinha. Quando te chamarem para “moiá” as palavras, aperte os cintos e tenha cuidado com a ressaca do dia seguinte.

Pialo: tomar um pialo não é nada bom, afinal quer dizer levar um tombo. 

Sedém de talo: é aquela calça jeans realmente muito apertada, dá para se perguntar como as pessoas respiram dentro dela. 

Tá no náilon: significa que conquistou aquela pessoa de que se estava a fim. 

Tem base?: quando uma pessoa pergunta isso, quer saber se dá para acreditar no que está sendo dito. 

Torar a paca/ torar a pamonha: essa é para fechar nossa lista com chave de ouro. Você possivelmente não enxerga nenhum sentido nessa expressão, mas saiba que se alguém torou a paca ou a pamonha, com certeza está feliz à beça. Essa pessoa acaba de vencer o rodeio. A pamonha é um sinônimo para dinheiro, então, a pessoa acaba de levar a grana toda, de faturar o grande prêmio.

Gostou dessas gírias para te ajudar a conversar melhor com peões e peoas? Vale lembrar que elas podem variar de acordo com a região. Tem alguma outra expressão para acrescentar à nossa lista? Deixe sua contribuição abaixo!

 

Crédito da Imagem: www.dicionariodegirias.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *