As mulheres no universo dos rodeios

Você sabia que a participação das mulheres nos rodeios vem crescendo ao longo dos anos? Elas estão dentro das arenas competindo, narrando as peripécias do evento como locutoras e adicionando mais graciosidade a esse universo bruto como rainhas. Que tal conhecer as cowgirls que dominam os rodeios? 

Conheça a participação das mulheres nos rodeios

Já se foi o tempo em que as mulheres ficavam apenas nas arquibancadas nos rodeios, hoje em dia, elas entram nas arenas e participam de diferentes formas dessa competição. A seguir, vamos apresentar algumas dessas figuras femininas notáveis que devem servir de inspiração para as cowgirls que sonham em fazer parte dessa festa grandiosa.

Brehna Bazanella: competidora de Três Tambores

Amazona vencedora da prova de Três Tambores do Rodeio de Jaguariúna em 2016, Brehna Bazanella, é um dos destaques dessa modalidade. Estudante de Medicina Veterinária, a jovem vem construindo uma carreira sólida nas competições, algo que é resultado de sua grande dedicação aos treinos. Um dos grandes sonhos da atleta é competir no exterior.

Ana Carolina Cardozo e Maria Eduarda: mãe e filha apaixonadas por rodeios

Ana Carolina é mãe de Maria Eduarda e sua companheira nas competições da modalidade de Três Tambores. Certamente, Ana não imaginava que teria na filha a grande aliada para perseguir o sonho de chegar mais longe nessa competição. As duas buscam chegar ao pódio lado a lado e, para isso, enfrentam uma rotina diária de três horas de treinamento no haras. 

Vale dizer que Ana Carolina é uma lenda em seu segmento já tendo conquistado as etapas de Barretos e Americana. Além de excelentes amazonas, elas são um exemplo de que nas arenas de competição também tem espaço para relações pautadas pelo amor. 

Rafaela Fortunato: campeã de Três Tambores de 2017

No ano de 2017, a estrela de Rafaela Fortunato brilhou no universo das competições de rodeio. A jovem atleta se sagrou a grande campeã da sua modalidade em Jaguariúna e passou a chamar atenção no circuito. Sua vitória foi compartilhada com o cavalo Gabiroba que a ajudou a fazer o menor tempo das eliminatórias, o prêmio recebido foi de R$ 17 mil. 

Caroline Rugolo: destaque nos Três Tambores

Caroline é uma atleta diferenciada que se tornou conhecida por uma boa média de resultados significativos nos campeonatos de Três Tambores. Com um bom conhecimento do cavalo, a amazona faz apresentações impecáveis e mantém um tempo bastante competitivo. Rugolo é vista como uma das principais promessas para o futuro da modalidade. 

Mara Magalhães: a voz dos rodeios

A locutora Mara Magalhães abriu as portas para as locutoras em rodeios, com mais de três décadas de atuação nas arenas, ela deixou para trás o estigma de que somente homens poderiam conduzir o público. 

Algo interessante de mencionar sobre essa notável dos rodeios é que ela inspirou a personagem Gil da novela América que também narrava rodeios. A narração de Mara tem a ver com o cotidiano do universo country, em sua carreira ela já gravou 5 álbuns com músicas como “Desafio no Rodeio” e “Meu Boizinho”. 

Bruna Morena: locutora de rodeio

Locutora desde os 12 anos de idade, Bruna Morena, é um dos destaques das competições nos últimos tempos. Com versos interessantes e uma postura alinhada com o universo country, ela vem conquistando um lugar consolidado. A certeza de que ela está se tornando relevante no circuito veio com a narração de importantes rodeios, como o de Barretos. Com certeza Mara Magalhães foi uma inspiração e muitas outras locutoras irão surgir.

Kamila Oliveira: rainha do rodeio com 17 anos

Uma das rainhas de rodeio mais jovens de Barretos, Kamila Oliveira, recebeu como um dos prêmios uma bolsa de estudos para cursar Direito. O papel da rainha na competição é muito importante e as meninas que disputam esse posto o fazem também pensando em garantir seu futuro. Para ela, foi a realização de um sonho já que muitas das meninas barretenses têm como sonho conquistar essa faixa.

Camila Rocha: segunda rainha negra de Barretos

Um dos grandes orgulhos de Camila Rocha foi ter sido a segunda rainha negra da festa de Barretos. A representatividade do título é muito grande no universo country e algo que propicia boas oportunidades. Ser rainha é mais do que ser uma cowgirl bonita é também ser alguém que transmite uma mensagem.

Juliana Cordeiro Joi: Rainha discreta

Ser tímida não foi um empecilho para que Juliana, formada em Direito, se tornasse a rainha de Barretos. Sua postura mais séria foi bem vista para trazer ao título mais credibilidade, pois a rainha tem suas funções e precisa cumprir uma agenda  cheia de compromissos.  

Cada vez mais meninas descobrem a paixão por esse universo que foi tido como masculino por muito tempo. Provavelmente, daqui alguns anos elas estarão presentes em muitas outras funções e sempre com a mesma graça e talento.