Rodeio

Palhaços de Rodeio – Os Salva-Vidas

palhaços de rodeios
Conheça mais sobre os salva-vidas de rodeio

A festa de rodeio geralmente é um grande espetáculo, que tem como protagonistas o boi e o peão. No entanto, muitos outros profissionais envolvidos no evento são de extrema importância para que tudo ocorra de melhor maneira e em segurança. Uma dessas pessoas é o salva-vidas, antigamente conhecido também como Palhaço de Rodeio. Atualmente, essa expressão antiga é considerada ofensiva por alguns profissionais da área, mas tem um motivo bem significativo para existir.

Sabemos que função do salva-vidas é proteger o cowboy enquanto ele está na arena, tendo completado ou não os oito segundos em cima do touro. Algumas vezes, não é fácil ajudar, como nas vezes em que a mão do peão fica enroscada na corda. Por isso, é preciso ter agilidade, rapidez e conhecer muito bem o animal para saber como salvar o competidor e a si mesmo. Entretanto, nem sempre foi assim que esse profissional trabalhou. Entenda como surgiu esse especialista.

Palhaços como forma de entretenimento

No início do século passado, os rodeios que aconteciam nos Estados Unidos tinham a presença de um profissional contratado exclusivamente para entreter e distrair o público durante os intervalos de uma montaria. Ele usava roupa colorida, pintura facial, peruca e muitas piadas para tornar o espetáculo mais atrativo e engraçado.

Nesse período, os palhaços de rodeio – como eram chamados na época – não tinham nenhum conhecimento sobre o animal ou mesmo obrigação de ajudar o peão. Até porque, os touros não representavam tanto perigo como nos espetáculos de hoje. Quando acontecia algum acidente, era comum que os outros competidores ajudassem o cowboy que estava na arena.

Unindo diversão e segurança do peão na arena

Ao longo do tempo, a quantidade de rodeios aumentou em todo o mundo e bois mais bravos começaram a ser frequentes nas arenas. Acredita-se que que a ajuda do palhaço começou em uma ocasião de 1920, quando o profissional responsável pela diversão usou seu conhecimento com touradas espanholas para salvar um competidor. O fato chamou a atenção para que outros palhaços começassem a exercer essa mesma função.

Há também outra teoria, de que as roupas coloridas e a agilidade desse profissional ajudavam a roubar a atenção do touro no momento em que o peão precisava deixar a arena, ou após um acidente.

No entanto, nem todos os que eram contratados para o entretenimento do evento entravam na arena para proteger ou salvar o cowboy que ali estava. E aqueles que o faziam, só encaravam alguns touros, já que a segurança do peão não era sua responsabilidade.

 

O salva-vidas tornou-se um profissional

As coisas começaram a mudar na década de 1960, quando algumas pessoas foram contratadas exclusivamente para proteger os competidores. O primeiro salva-vidas profissional da história do rodeio foi Wick Peth, que trabalhou nas arenas até os 50 anos de idade. A partir de então, passou a ser comum a prática de contratar pessoas que se dedicam somente à arte de proteger os atletas. Em geral, os profissionais se dividiam na função de entreter o público e salvar o peão.

Foi na década de 1970 que a profissão tornou-se totalmente reconhecida. Ao longo do tempo grandes nomes surgiram entre aqueles que mesclavam a função de palhaço com salva-vidas. Entre eles estão Rex Dunn, Lecile Harris e Leon Coffee.

 

Um trabalho muito sério

Enquanto alguns profissionais unem a função de palhaço e salva-vidas, outros estão bem longe das roupas coloridas e da responsabilidade de entreter o público. É muito comum encontrar aqueles que são contratados exclusivamente para proteger o peão na arena. É o caso de Rob Smits e Joe Baumgartner, que colocaram seus nomes da história do rodeio.

Smits é tido por muitos como o maior salva-vidas que já se ouviu falar. Em 2006, teve o pescoço quebrado pela terceira vez em 28 anos de carreira. Foi então que decidiu se aposentar. Podemos ver que esse trabalho exige muita coragem, atenção e agilidade. Além disso, é muito importante conhecer bem o animal já que é preciso saber lidar com um touro bravo para salvar o cowboy e, ao mesmo tempo, a própria vida.

 

O entretenimento também é importante

A chegada dos salva-vidas não roubou a cena dos palhaços. Ainda hoje há profissionais que trabalham exclusivamente para divertir e distrair o público durante o intervalo dos rodeios. Um dos nomes mais conhecidos é Flint Rasmussen, que desistiu da carreira de professor de Matemática e História para realizar o sonho de trabalhar entre os cowboys.

 

Profissões diferentes em uma mesma história

O rodeio e suas características mudaram ao longo dos anos. O que antigamente era uma profissão com várias funções, hoje são duas especialidades diferentes, apesar de ainda existirem casos em que o palhaço de rodeio e o salva-vidas são a mesma pessoa.

Gostou de aprender mais sobre o universo do rodeio e suas particularidades? Aqui no nosso blog você encontra tudo sobre o mundo country!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *