Domador de cavalos: saiba como ele realiza essa tarefa

Adestramento de Cavalos
Como é o trabalho de um domador de cavalos? – Crédito da Imagem: http://cavalonordestino.blogspot.com.br

Mesmo que o ser humano tenha integrado o cavalo aos trabalhos da sociedade há mais de 5 mil anos, esse animal não deixar de apresentar traços geniosos. A personalidade forte dos equinos pode ser contida com técnicas amigáveis de doma, o chamado adestramento, também conhecido como dressage (derivado do verbo dresser em francês, que significa treinar). E essa análise não é atual, pois os registros mostram que os gregos já sabiam disso.

No post de hoje você irá ler sobre o adestramento de cavalos. Essa difícil e importante tarefa é uma maneira de não fazer com que o cavalo seja um instrumento e que se torne um sujeito. Continue lendo para entender mais.

Dicas de adestramento

O doma racional, a doma rotativa ou qualquer tipo de adestramento deve praticar o conceito de disciplina no cavalo sem o uso de qualquer tipo de violência. O treinamento deve ser pacífico para qualquer tipo de atividade que o cavalo irá exercer.

Seja para os esportes como o hipismo, as corridas no jóquei e as provas de laços nos rodeios ou ainda para cuidar das boiadas e outros trabalhos da fazenda, o método deve integrar o cavalo ao cotidiano que seu dono deseja para ele. Por isso, a doma deve ter como princípio a confiança e o respeito entre o cavalo e o cavaleiro ou amazona.

Em primeiro lugar, o cavaleiro ou a amazona deve estar protegido (a), pois os cavalos são animais fortes. Depois quem irá treinar deve ganhar a confiança do equino. O próximo passo é o exercício da paciência, afinal, todo treinamento deve ser praticado exaustivamente para que se chegue à perfeição. E ficar nervoso com o cavalo quando ele não consegue fazer algo não é uma opção válida!

Outra dica interessante é não demonstrar medo do animal ou deixar que ele sinta medo. É essencial que ele goste do domador e se habitue à presença e o toque deste.

O cabresto, a corda para amarrar o rabo, manta, selas, rédeas, cabeçada e o fechador de boca são alguns dos instrumentos de alguns tipos de adestramento. Não importa qual seja o tipo, as ferramentas devem ser usadas com cuidado para não machucar o animal.

Para que a doma seja feita corretamente, leia muito sobre o assunto e consulte um especialista.

Um pouco de história

O filósofo grego Xenofonte (430 a.C. – 355 a.C.) foi soldado e discípulo de Sócrates. Ele é uma das fontes que temos hoje em dia a respeito de adestramento de cavalos na Grécia Antiga. Por meio dos escritos dele é possível perceber que os gregos compreendiam que o treinamento de cavalos sem o uso da violência é efetivo. E, é claro, que o resultado desse tipo de método influenciava na sintonia entre o cavalo e o cavaleiro, essencial durante as batalhas.

Apertando o botão de “avançar” na história da humanidade, não há registros desse tipo de filosofia durante a Idade Média (século V – século XV), não é toa que ela é chamada de Idade das Trevas.

Apertando no botão “avançar” novamente, é possível encontrar materiais que a técnica de adestramento de cavalos foi lembrada durante o Renascimento (século XIV – século XVI).

O aprofundamento do estudo foi tanto que no século XVI foi criada a Escola Espanhola de Equitação, que fica na cidade de Viena, na Áustria. O instituto foi construído quando os Habsburgos (família nobre europeia muito tradicional) passaram a criar e treinar os cavalos que eram “puro-sangue” e originais da Espanha. A escola tem influência nas bases do adestramento atual.

 Adestramento: modalidade olímpica

 O adestramento é uma modalidade olímpica do hipismo considerada mais clássica. Os seus princípios básicos são os pilares da Equitação Acadêmica. Essa modalidade ganhou sua merecida importância nas Olimpíadas de Estocolmo, na Suécia, em 1912.

E para quem ficou curioso: a modalidade de saltos no hipismo teve seu espaço nas Olimpíadas de Paris, na Franca, no ano de 1900.

Dica de leitura: O Homem que Ouve Cavalos

 Uma ótima dica para quem gostaria de aprender mais sobre a doma de cavalos é a leitura do livro “O Homem que Ouve Cavalos”, que é uma autobiografia escrita por Marvin Eart Roberts com o pseudônimo Monty Roberts. A história mostra por A + B que o tratamento carinhoso com o cavalo só é vantagem tanto para o animal quanto para o ser humano.

O autor vivia na Califórnia (nos Estados Unidos) em uma fazenda com o seu pai. Lá, o pai domava os cavalos com o uso de violência. Marvin já era decidido desde criança e não gostava do jeito que o seu pai tratava os equinos. Por sorte, o autor é neto de uma índia cherokee que o ensinou a usar métodos indígenas para domar esses animais. E, é claro, que essas práticas não usavam violência.

Fazendo um combo do que aprendeu com a avó e da sua própria filosofia, Marvin criou seu próprio método chamado de Equus. Hoje em dia, ele é uma referência no tratamento ideal com cavalos.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *