Quais São os Animais de Rodeio?

Os rodeios estão entre os eventos que mais atraem público no Brasil, e grande parte do sucesso dessas competições é decorrente da participação de animais como touros, cavalos e bezerros. Para quem tem curiosidade e dúvidas a respeito de como esses participantes dão o ar da graça nas arenas, vamos falar um pouco mais sobre as modalidades de que eles participam. Então, está preparado para saber mais sobre os animais de competição?

Saiba quais são os animais de rodeio e quais as suas funções

Para quem tem curiosidade sobre alguns detalhes a respeito da participação de animais em rodeios, é interessante continuar lendo, vamos desvendar esse intrincado tema abaixo. 

Touro: O adversário mais temido pelos peões

Conseguir permanecer 8 segundos em cima do lombo de um touro bravo não é para qualquer um e os peões de rodeio sabem muito bem disso. Os touros utilizados nessas competições precisam ter algumas características físicas e temperamentais, para que possam pular e tentar desestabilizar o peão antes do fim da contagem dos 8 segundos. 

Há algumas raças de bois mais reconhecidas por produzir touros bravos e fortes como a Nelore, Marchigiana, Simental e Charolês. No entanto, há casos em que os animais sem raça definida acabam se tornando mais temidos do que os que têm uma estirpe. Trata-se de um conjunto de fatores que tornam esses animais bons em seu ofício de derrubar peões. 

Bons tratos para os bois de rodeio

Alguns bois de rodeio acabam se tornando mais famosos do que os próprios peões, há quem vá assistir a esse tipo de competição somente para ver esses animais em ação. Com tanta relevância, é fácil entender porquê os proprietários de touros investem tanto em estrutura e bem-estar para os quadrúpedes. 

A alimentação desses animais é feita com silagem de milho, ração e um ingrediente concentrado para fornecer os nutrientes necessários. Esses animais podem se estressar em demasiado, de maneira que demandam espaço para que possam se movimentar livremente e ter fácil acesso à comida. Geralmente, uma semana antes de entrar no brete, esses touros passam longas horas apenas descansando.

É interessante mencionar que o que faz com que os bois pulem durante o rodeio é o sédem, uma espécie de corda feita de lã que é amarrada no entorno do abdômen do cavalo. Esse acessório é desenvolvido para não machucar o boi.

Cavalos no rodeio: Diversas modalidades

Embora para muitos o rodeio esteja ligado apenas aos bois, não podemos deixar de falar sobre a presença massiva dos cavalos em diferentes modalidades. A seguir vamos explicar um pouco sobre cada uma delas.

Sela americana

Nesse tradicional estilo de montaria, os peões, devem segurar o chamado cabo de cabresto (com cerca de 1,20) com uma das mãos. Assim que o cavalo toca o chão da arena com as suas duas patas dianteiras, é necessário que o competidor realize o chamado “mark-out’, que é posicionar suas esporas na altura do pescoço do cavalo. O tempo nessa modalidade é de 8 segundos. 

Bareback

Uma modalidade nascida nos Estados Unidos que também tem como objetivo o mark-out. O nome da modalidade se deve ao uso de um equipamento chamado de bareback, que é uma espécie de alça de couro desenhada sob medida para cada competidor. O tempo também é de 8 segundos. 

Cutiano

Modalidade que somente é realizada no Brasil e que teve sua origem em Barretos, no ano de 1956. O objetivo do peão é fazer com que a espora seja levada do pescoço para a alça do arreio do cavalo de acordo com o pulo do equino. O peão deve segurar a rédea usando somente uma das mãos. 

Team Penning

Prova que tem como foco a apartação, algo bem recorrente no dia a dia de uma fazenda. Essa modalidade é disputada em trios e os competidores montados a cavalo devem apartar de uma boiada geralmente de 30 cabeças, apenas as 03 que tem a numeração correspondente à solicitada. O tempo máximo de duração é de 60 segundos. 

Três Tambores

A única prova feminina do rodeio, três tambores consiste em contornar 3 tambores que são posicionados em forma de triângulo dentro do menor tempo possível. Derrubar tambores ao longo do trajeto gera penalidade.

Bezerros: A prova do laço

A prova que também é chamada de calf roping consiste em peões que tentam laçar bezerros de pequeno porte que tenham até 40 dias de vida e 120 kg. A laçada deve ser feita o mais rápido possível. Essa modalidade teve sua origem nos Estados Unidos com o objetivo de administrar boiadas. 

O peão montado num cavalo aguarda até o momento em que o bezerro entra na arena e então parte para laçá-lo. Assim que o bezerro é laçado, o peão deve segurá-lo com a mão e imobilizá-lo por cerca de seis segundos. A média de tempo para a laçada e a imobilização do bezerro é entre 7 e 8 segundos. 

Gostou de saber mais sobre os animais de rodeio?