O Que é gineteada?

A gineteada é uma modalidade muito antiga e que ainda hoje tem grande destaque pela emoção que carrega. Trata-se do ato de montar e permanecer sobre um cavalo pelo máximo de tempo que conseguir ou até que a campana (sino) soe. Ficou curioso para saber mais? Continue lendo e confira os detalhes sobre a modalidade competitiva que faz com que os ginetes mostrem o seu valor tentando montar os equinos mais bravos.

Afinal, do que se trata a gineteada?

A palavra se refere ao ato de montar cavalos (chamados de aporreados) – tal qual num rodeio – tentando manter-se sobre eles. Contudo, deve ficar claro que não há apenas uma modalidade de gineteada, na verdade há diversas delas com diferenças entre si dependendo do local em que são praticadas.

Trata-se de um esporte de destaque especial na região sul do Brasil e em países vizinhos como Argentina, Uruguai, Paraguai e Chile. Agora que você já sabe o que é gineteada chegou o momento de conhecer melhor alguns dos seus elementos e as suas modalidades.

Elementos da gineteada

A gineteada é uma modalidade competitiva bastante antiga e que tem alguns elementos essenciais para que possa ser realizada como a escolha dos cavalos aporreados, da espora e a campana.

Cavalos de gineteada

Os equinos utilizados para modalidades de gineteadas devem ser xucros ou mal domados. Quanto mais dificuldade oferecerem para os ginetes melhor, pois se quer testar as habilidades dos mesmos para contornar a resistência do animal. Um dos movimentos mais bonitos da gineteada é quando o cavalo dá uma corcoveada.

Espora

Os ginetes usam a espora como uma aliada para que possam montar nos cavalos bravos. Essa peça tem um longo papagaio com cerca de 10 a 15 cm além de rosetas com 8 dentes que possuem suas pontas arredondadas para que não machuquem o equino.

Campana

É um tipo de sino que deve ser soado no começo da gineteada e quando o ginete chega a 8 segundos em cima do animal.

Modalidades de gineteada

A seguir vamos apresentar algumas das modalidades de gineteada observando que nos diferentes países em que são realizadas apresentam regras próprias que são consequência do contexto cultural em que se desenvolveram ou foram adaptadas.

Modalidade de Pelo (Crinas Limpias)

Essa é a modalidade de gineteada mais popular no Brasil e recebe esse nome pelo fato de que os ginetes devem montar diretamente no animal sem o uso de selas. Bastante praticada na Argentina e no Uruguai também recebe o nome de crinas limpias por lá. Ao montar é possível fazer um trançado de tento e crina ou então usar a rédea – nesse caso ela é passada por baixo do pescoço do animal sendo que o cavaleiro deve segurá-la a certa distância do cavalo.

Nessa modalidade há ainda mais uma forma de montar chamada de espalda também conhecida como ramplão ou paletão. Basicamente a montaria deve ser feita passando sobre o peito do animal e por baixo de sua pata. Nesse tipo de montaria as regras permitem que o ginete agarre a crina dos equinos com as suas duas mãos. Uma curiosidade é que se trata da modalidade de gineteada mais antiga que existe tendo sido muito utilizada pelos índios para domar cavalos.

Gurupa Sureña

É uma modalidade de gineteada relativamente popular no Brasil cuja origem é argentina, considera-se a que permite uma montaria mais plástica. Popularmente essa forma de montar equinos é chamada de ‘boca atada’ pelo fato de que é utilizado um bocal no animal.

Utiliza-se uma armação composta por ferro e esponja (com nome de gurupa) que é atada ao cavalo por meio de barrigueira e travessão. O objetivo do adereço é permitir que o ginete leve seu pé no toso do animal e assim se dê uma montaria mais plástica. Os ginetes que praticam essa categoria usam esporas que possuem papagaio de 4 cm e roseta com pelo menos 5 pontas. O tempo para a campana (tocar do sino) é de 12 segundos.

Basto aberto (Basto argentino)

Nessa modalidade os animais também utilizam o bocal e a montaria acontece sobre basto e com estribos que têm forma redonda. O tempo nessa modalidade também é de 12 segundos. A espora utilizada também é igual a da categoria de sureña.

Basto oriental

Tradicional do Uruguai é uma categoria que se caracteriza por usar uma ensilha completa assim como usar o pala ao invés de relha.

A gineteada é uma modalidade competitiva de montaria em cavalos que oferece muita emoção para os ginetes e para quem está assistindo ao desafio do cavaleiro de domar um cavalo sem doma ou xucro. Como mencionado essa que atualmente é uma modalidade competitiva já foi um recurso para domar cavalos. Gostou de conhecer mais sobre as gineteadas?