Milionário e José Rico
Curiosidades

Milionário e José Rico: a história das gargantas de ouro e 10 sucessos marcantes

A dupla Milionário e José Rico colecionou ao longo de sua carreira mais de 39 milhões de álbuns vendidos, 29 discos, inúmeros hits nas paradas de sucesso, participação em dois filmes e o honroso apelido “As gargantas de ouro do Brasil”. Que tal conhecer mais sobre a trajetória dos dois? 

Milionário e José Rico: Romeu Januário e José Alves

Conhecido como Milionário, Romeu Januário de Matos trabalhou como garçom, pintor de parede e pedreiro antes de conhecer o sucesso na música sertaneja. Nascido no dia 4 de janeiro de 1940, em Monte Santo de Minas, Minas Gerais, foi para São Paulo em busca de oportunidades de ser artista. 

José Alves dos Santos, o José Rico, nasceu no dia 29 de junho de 1946, em São José do Belmonte, Pernambuco. Embora tenha nascido no Nordeste, morou durante a infância em Terra Rica, Paraná. Uma curiosidade é que o cantor alterou o seu nome no cartório para José Rico Alves dos Santos como uma forma de homenagear sua trajetória de sucesso. Também foi para São Paulo em busca de uma chance na carreira artística. 

A história da dupla sertaneja

Milionário e José Rico se conheceram no início dos anos 70, na cidade de São Paulo. Os dois estavam hospedados no “Hotel Rio Preto”, famoso por receber jovens que queriam se tornar músicos. Foi nesse estabelecimento que eles se conheceram e Romeu criou o apelido de Milionário para combinar com José Rico.

Em 1973, os dois gravaram algumas canções caipiras pelo selo Continental/Chantecler. Datam desse período clássicos como “De longe também se ama”, composta por José Rico e Jair Silva Cabral e “Paraná querido”, de Paulinho Gama e Goiá.

Os dois se destacaram no cenário musical por conta das músicas raiz com influências externas e o uso de harpas, trompetes e acordeom. Eles também mostravam referências para outros ritmos, como os da cultura mexicana, cigana, paraguaia e gaúcha.

Os desentendimentos e o grande retorno

O cotidiano dos artistas envolvia muita música e atritos, pois eles eram muito diferentes, assim, foram inúmeros os desentendimentos ao longo da carreira. Em 1991, essa convivência conflituosa levou os cantores a uma separação. Depois de gravar o disco “Vontade dividida”, eles anunciaram a separação em um show feito em Ipuã, em São Paulo. 

Eles ficaram separados por três anos, período em que José Rico lançou dois discos do projeto solo. Milionário também não ficou parado e se juntou ao Mathias, da dupla Matogrosso & Mathias, e também gravou um álbum com Robertinho, da dupla Léo Canhoto e Robertinho. Apesar de todo o tempo separado, os dois voltaram a cantar juntos em 1994. Nesse ano, gravaram seu primeiro CD, chamado “Nasci para te amar”.

A morte de José Rico

No ano de 2015, José Rico faleceu em decorrência de um infarto, deixando seu companheiro e amigo Milionário muito abalado. O Brasil sentiu a perda de um dos maiores nomes da moda sertaneja. Em 2016, Milionário formou uma dupla com Marciano, que havia se separado de João Mineiro, em 1993. Em 2019, Marciano faleceu. 

10 grandes sucessos das “gargantas de ouro do Brasil”

A dupla sertaneja tem tanto sucesso que ficou difícil escolher só alguns. Depois de muito tempo, conseguimos montar uma lista com 10 músicas que marcaram a carreira dos dois e da história musical brasileira. Aumente o som e conheça os clássicos:

Estrada da vida

Composição de José Rico, essa é uma das canções mais famosas da música brasileira. Uma curiosidade é que a música foi composta durante uma viagem da dupla a bordo de uma Brasília verde entre as cidades de Mineros e Itumbiara, no estado de Goiás.

Vontade dividida

A canção que deu nome ao álbum de 1991, quando os dois anunciaram a separação da dupla, se tornou um dos grandes clássicos de quem está amando sem esperanças. Não pode faltar na playlist de dor de cotovelo. 

A carta

Uma música que se tornou um dos grandes clássicos sertanejos, tendo sido regravada por inúmeros artistas. A história apresenta um homem que pretendia abandonar a sua família para partir com outra mulher, mas desiste ao perceber que o verdadeiro amor sempre esteve em seu lar. 

Viva a vida

Quem disse que só tem história triste em modas sertanejas? Essa canção de Milionário e José Rico nos apresenta a história de um homem que viu a alegria voltar para a sua vida com a sua amada. Algo interessante que essa canção nos ensina é que não tem nada mais nocivo para a vida do que a tristeza.

Decida

Uma música interessante para quem está vivendo uma crise na relação e precisa dizer ao parceiro como se sente. Na história, um marido apaixonado decide confrontar a esposa a respeito do desinteresse dela pelo relacionamento. Se o amor acabou de uma das partes, o melhor é a separação mesmo. 

A dama de vermelho

Ver a pessoa que se ama feliz com outro alguém é realmente bastante doloroso, ainda mais quando se sabe que tem a culpa pela separação. Nesse caso, a música ideal para trilha sonora é “A dama de vermelho”, certamente você vai se identificar com o narrador. 

O último julgamento

Uma canção forte e que gera grande reflexão em quem ouve, a letra apresenta Jesus Cristo julgando a humanidade e chegando à conclusão de que o homem fracassou em seguir seus ensinamentos. 

O sonho de um caminhoneiro

Uma moda com uma história muito bonita de luta e amizade. Dois caminhoneiros e amigos trabalharam muito para se tornarem donos do seu próprio caminhão. No entanto, um acidente levou um deles antes do tempo, cabendo ao outro ajudar a criar o seu filho recém-nascido e agora órfão. 

Boate azul

Uma música que já fez sentido para muitos homens que se apaixonaram loucamente e viveram noites ébrias para tentar afogar o sofrimento. Mais um clássico da música sertaneja. 

Solidão

Uma linda e triste música de amor para fechar essa lista, às vezes, tem coisas que é melhor não saber. 

Milionário e José Rico no cinema 

A canção “Estrada da Vida” foi um enorme sucesso no Brasil. A composição inspirou o roteiro com filme de nome homônimo, que é influenciado pela história de vida dos dois. Claro que Milionário e José Rico interpretam a si mesmos na produção. 

O filme foi dirigido por Nelson Pereira dos Santos. O longa-metragem foi premiado pelo “Festival Internacional de Filmes de Brasília” e rendeu uma pequena turnê de um mês pela China, a convite do próprio governo do país oriental.

A dupla caipira não parou por aí! A segunda aventura deles pelo cinema foi dirigida pelo filho do diretor do primeiro filme, o Ney Sant’Anna. Chamado de “Sonhei com você”, a película é de 1988 e os dois fazem o papel deles mesmos novamente.

Milionário e José Rico marcaram a história da música sertaneja para sempre! 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *